Soja reage no Brasil com especulações da China

Segundo apurou a pesquisa diária do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da USP), os preços da soja no mercado físico brasileiro fecharam a quarta-feira (30.10) com preços médios da soja nos portos do Brasil sobre rodas para exportação subindo 0,61%, para a média de R$ 87,47/saca (contra R$ 86,94/saca do dia útil anterior). Com isto, o acumulado do mês atingiu 0,82%, contra positivos 0,21% do dia anterior.

“A soma das quedas da cotação da soja em Chicago, de 0,26%, com a desvalorização de 0,40% do dólar, foram suplantados pelas compras chinesas no Brasil, não impedindo que os preços que os compradores ofereceram sobre rodas nos portos do sul do Brasil ou seus equivalentes em outros estados, tivessem alta”, explica o analista da T&F Consultoria Agroeconômica, Luiz Pacheco.

No interior o preço teve leve queda, de 0,21%, para R$ 82,34/saca, contra R$ 82,51 do dia anterior, com o acumulado caindo para 1,82%, contra 2,03% anterior.

CHINA

Apesar das boas margens chinesas para a nova safra, estimadas em US$ 26/t, não se falou abertamente em demanda da China nesta quarta-feira. Foram noticiados dois rumores, um de uma venda FOB de soja nos portos brasileiros para Julho, com prêmios entre 45/50N. Outro, de negócio de soja brasileira para Março, sem informação sobre o prêmio.

“Estas atividades podem ter encorajado as Tradings a oferecerem preços maiores num dia em que Chicago e o dólar caíram, no Brasil. Os prêmios da soja nos portos brasileiros subiram muito nos últimos 15 dias, o que mostra o que sempre afirmamos que a China iria continuar comprando firme do Brasil”, conclui Pacheco.