Conab avalia desenvolvimento positivo das lavouras de algidão

A colheita do algodão começou este mês, em Mato Grosso. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em relatório divulgado na última semana, o desenvolvimento das lavouras no Estado tem sido “bastante positivo” e apresentado “boas condições fitossanitárias”.

“As adversidades climáticas observadas em determinadas regiões produtoras no estado não trouxeram prejuízos à cultura, pois o algodoeiro possui maior resistência ao estresse hídrico em comparação à outras espécies”, diz a Conab, em seu 9º levantamento da safra de grãos.

A Conab manteve as previsões para a cultura do algodão que já constavam no levantamento anterior. Segundo o órgão, haverá aumento de 0,3% na produtividade, que deve chegar a 4,2 mil quilos por hectare. Para o órgão, “além do clima favorável, o aumento de área, os maiores investimentos no manejo e nos pacotes tecnológicos utilizados concorrem para essa expectativa de incremento”.

Apesar de a colheita começar este mês, a maior parte dos trabalhos deve ficar concentrada entre os meses de julho e agosto, em Mato Grosso. A Conab estima que o Estado plantou 1,160 milhão de hectares na atual safra (a qual ainda não tem números consolidados, uma vez que está em andamento). Caso o resultado se confirme, será um aumento de 7% em relação à área plantada na safra anterior, 1,092 milhão de hectares.

A previsão da Conab é de que Mato Grosso produza pouco mais de 5 milhões de toneladas de algodão, 7,4% a mais que em 2018/2019. Desse total, a companhia estima que sejam 2 milhões de algodão em pluma e 3 milhões de caroço de algodão

Só Notícias/Herbert de Souza (foto: Só Notícias/arquivo)