Mato Grosso tem mais de 90% do milho semeado na janela ideal e chuva ‘definirá’ super safra

O IMEA (Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária) divulgou, ontem, o relatório de oferta e demanda do milho no Estado e ocorreram poucas modificações nos dados. Para a safra 2019/2019 os dados projetados ficaram muito semelhantes à última divulgação do Instituto,sendo a oferta de 32,31 milhões de toneladas e a demanda de 32,30milhões de toneladas, com exportações recordes. Já os estoques ficaram em 1 milhão de toneladas, reflexo da alta procura dos últimos meses por milho em Mato Grosso

Já para a safra 2019/20 a estimativa é de produção recorde no Estado. “Com quase 92% das áreas semeadas dentro da janela considerada ideal para a cultura, espera-se bons resultados de produtividade para o milho. Além disso, os produtores aumentaram a área destinada ao cereal nesta safra, impulsionados pelos bons preços de mercado. Com isso, a projeção é de uma oferta de 32,45 milhões de toneladas, 0,44% a mais que na safra 2018/19. Vale salientar que ainda há dependência das condições climáticas para a consolidação de uma super safra em Mato Grosso, principalmente em relação à quantidade e frequência de chuva nas próximas duas semanas”, aponta o IMEA.

“O aumento das áreas pelos agricultores e o bom índice de lavouras semeadas dentro da janela ideal dão suporte para o aumento da estimativa de produção de Mato Grosso ante a última divulgação”.

O instituto aponta ainda que, “em relação à demanda da safra 2019/20 muitas são as incertezas do mercado quanto ao direcionamento do cereal. Até o final de 2019 esperava-se um considerável aumento no consumo de milho destinado às empresas de etanol e à pecuária (acima de 18%). Porém, com a conjuntura atual vários fatores foram modificados. Com isso, as estimativas atualizadas do instituto, com base nas reduções de preço do etanol (que comprime as margens das indústrias de etanol de milho), aliado às dúvidas dos pecuaristas quanto ao confinamento no estado (devido também às margens apertadas),indicam um aumento em relação à safra 2018/19 de 4,37% no consumo de milho em Mato Grosso, alcançando 9,05 milhões de toneladas. Quanto ao consumo interestadual, espera-se que 2,60 milhões de toneladas sejam destinadas para outros estados, principalmente suprindo a falta do insumo para a pecuária e devido à redução de produção que ocorreu na primeira safra brasileira

Na semana passada, a cotação média do milho disponível fechou estável no Estado a R$ 40,01.

FONTE: AGRONOTÍCIAS

Holler Box