Plantio de soja começou em Mato Grosso

Agora, com o término do vazio sanitário da cultura, os produtores estão autorizados a fazer o cultivo do grão. As primeiras lavouras plantadas no estado são aquelas que possuem sistemas de irrigação, já que, com a falta de chuva, colocar as sementes na terra sem que haja umidade suficiente no solo é um risco muito grande.

Neste momento, os produtores tendem a não arriscar. Este ano, de acordo com o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), plantar um hectare de soja no estado sai por pouco mais de R$ 4.170, cerca de 7% mais que o custo da safra anterior. Em uma fazendo em Sorriso, a 420 km de Cuiabá, a expectativa é de que seja feito o cultivo de 300 hectares com irrigação. Em outra propriedade serão quase 700 hectares irrigados.

A soja plantada agora, vai ser colhido no começo de janeiro e sem seguida dar espaço para a nova safra de milho e arroz. O estado deve aumentar 2% a área plantada com soja, chegando a 10,8 milhões de hectares. A produção esperada é pouco mais de 35 milhões de toneladas. Os produtores iniciam a safra otimistas, conseguindo bons preços pelo grão e com boas perspectivas de negócios. Eles já venderam mais de 55% dessa produção que vão cultivar a partir de agora, mas ainda dependem do clima.

Segundo o Agrometeorologista do Climatempo, João Castro, a chuva deve chegar nas lavouras ainda neste mês. “Nos dias 20 e 21 de setembro é esperado que algumas chuvas comecem já a ocorrer inicialmente pelo oeste do estado de Mato Grosso, na região de Campo Novo do Parecis e Sapezal. No dia 26 e 27 de setembro, aguardamos uma nova massa de ar que vai empurrar uma frente fria e formar um novo corredor de umidade, que vai levar chuva para todo o estado de Mato Grosso, inclusive na região central”, explica. É importante destacar que a soja plantada nesta semana tem previsão de ser colhida no final de dezembro ou começo de janeiro. Em seguida, os produtores iniciam a segunda safra, quando fazem o cultivo de algodão, milho ou feijão.

FONTE: JORNAL O DIÁRIO

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *